sábado, 29 de julho de 2017

El perro de La Chascona...

Descrição da foto: um cão labrador mestiço descansa deitado na calçada em frente à casa do poeta Pablo Neruda. Créditos da imagem: MarceloRuiz - Santiago do Chile (set/2015).

Nada na vida te prepara para certas perdas.
Se te disseram isso, lamento, mentiram. 
Por mais que vás viver,
Sem que nada de muito ruim te aconteça, 
Esse viver vai tornar teu coração tão duro, 
Ao ponto de sublimar certas coisas. 
Só não aceite, que te empurrem goela abaixo,
Que tens que ser forte. 
Que é preciso suportar e seguir em frente. 
Não és pedra. 
Te fizeram carne e sentimentos. 
Não uma massa de células e músculos e órgãos,
Que resiste a tudo e passa por cima de tuas emoções. 
Quedar-se em sofrimento e desistir da luta. 
Não é vergonhoso o tanto te disseram sempre. 
Desistir da vida e parar com tudo. 
Talvez seja a maneira justa e certa. 
Afirmar a ti mesmo, senão ao mundo, 
Que és, acima de tudo, amor e sentimentos. 
E por puro livre arbítrio,
Diz que recusas ser a pedra. 
Pela qual te tomaram. 
Ou tentaram te fazer crer a vida inteira. 
Pois entendes que mesmo as pedras, 
Chegam a termo e viram pó. 
Se deixar ficar pode ser a maneira. 
De permanecer para sempre. 
Em emoções e lembrança.


Dedicado a Dona Ana Lucia Kist, com carinho e gratidão! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação. Seu comentário será respondido brevemente.